Paulo Leal demitiu-se da Junta de Freguesia da Reguenga por ter sido retirada a confiança politica no mesmo pela presidente da Comissão Politica do PSD de Santo Tirso, a deputada Andreia Neto e Candidata a Câmara Municipal de Santo Tirso nas próximas eleições no passado mês de Outubro.

No comunicado na altura por parte da CPC de Santo Tirso:

A Comissão Política Concelhia do PSD de Santo Tirso, presidida por Andreia Neto, decidiu a retirada da confiança política ao atual presidente da Junta de Freguesia da Reguenga, Paulo Leal, que, ato contínuo, anunciou a sua intenção de renúncia às funções que desempenha.

Em causa estão alegadas irregularidades na gestão da Junta de Freguesia da Reguenga, que investigações posteriores por quem de direito se encarregarão de aclarar. No entanto, o PSD de Santo Tirso, fiel aos seus princípios de transparência e seriedade, considera que não estão reunidas as condições para que o presidente da Junta de Freguesia da Reguenga se mantenha no cargo.O PSD de Santo Tirso lamenta este desfecho, mas não poderia, de consciência tranquila, manter a confiança num autarca sobre o qual recaem suspeitas sobre a forma como geriu os destinos de uma das freguesias do concelho. A postura do PSD na vida pública obriga a que as decisões necessárias sejam tomadas sem receios e sempre de acordo com o superior interesse da causa pública.

O PSD de Santo Tirso trabalhará numa solução que permita a estabilidade e o bom funcionamento da freguesia até ao final do mandato no superior interesse da população.

Em declarações ao Jornal o Cordovense Paulo Leal:

Referiu que “fui acusado numa ata de 12-10-2016 de ter desviado 16.600,00€. Foram ocultados, pelo executivo, ao auditor documentos relativamente aos saldos iniciais do mandato. O valor apurado no relatório de auditoria foi de 657,99€, abatendo o saldo inicial transferido do mandato anterior, 504,14€, o resultado passa apenas para uma diferença de 153,85 de verbas sem justificação.”

Questionado sobre os próximos passos a dar em relação a este assunto, Paulo Leal, considera que uma vez julgado em praça pública, “limpar a minha imagem, honestidade e seriedade é o meu principal objetivo, e em sede própria e quem de direito atribuir as responsabilidades a quem as deve ser atribuídas”. “Lamento também a forma como Andreia Neto tomou a decisão de me retirar a confiança política com base em suspeitas infundadas e apresentadas por Mariana Vidinha e Fernando Pereira”.

Nota ainda para o facto de, a Presidente da Assembleia, não ter permitido a Paulo Leal dar as suas explicações ao público presente, cortando-lhe a palavra na altura da intervenção.

Na gestão da junta no mandato de Paulo Leal, o saldo de banco, quando saiu era de 48.000,00€, e o visado considera que “o PSD de Santo Tirso e a sua Presidente Andreia Neto, retiraram a confiança política com base em suspeitas sem factos provados. Factos esses apurados no relatório da auditoria.”

Numa declaração em resposta aos resultados da auditoria o PSD de Santo Tirso refere o seguinte:

Na reunião da Assembleia de Freguesias realizada na passada sexta-feira, dia 24 de Fevereiro e face à Auditoria que foi apresentada, é nosso entendimento que ficam provadas várias irregularidades graves, como por exemplo:

  • Em algumas situações o número de contribuinte da Junta de Freguesia não é indicado nas faturas com ordem de pagamento. Noutros casos o NIF está errado”;
  • Em novembro e dezembro de 2015 as ordens de pagamento estavam apenas autorizadas pelo presidente da Junta. Em 2016 as ordens de pagamento não estavam autorizadas por nenhum elemento do executivo da Junta”;

A auditoria dá conta de várias irregularidades no movimento de verbas, passando várias delas pela conta particular do senhor Paulo Leal, tendo sido usadas pelo próprio, sendo algumas delas justificadas posteriormente.

O PSD de Santo Tirso apoia e associa-se à decisão da Assembleia de Freguesia da Reguenga de enviar a auditoria para as Entidades de Inspeção e para o Tribunal.

Informamos a posição que tomamos no início do processo e logo que dele tivemos conhecimento. Entendemos fazer agora este esclarecimento e nada mais dizer até que os órgãos inspetivos e o Tribunal digam da sua justiça.

O mesmo relatório seguiu para as entidades competentes: Ministério Público, Inspecção Geral de Finanças, Tribunal de Contas e Tribunal Local.

A candidatura da deputada da Assembleia da República foi aprovada por unanimidade e aclamação, numa Assembleia de Militantes que juntou cerca de uma centena de pessoas, depois da Comissão Política Concelhia ter aprovado, também, por unamidade e aclamação a sua candidatura à Câmara Municipal de Santo Tirso.

“O grande desafio agora é ganhar a câmara de Santo Tirso. Temos convicção nessa meta pois esta será uma candidatura agregadora, uma candidatura que une toda a sociedade”, afirmou Andreia Neto.

A atual presidente da concelhia do PSD de Santo Tirso afirma que não irá esquecer as responsabilidades que tem para com o país, contudo a sua grande prioridade é o concelho tirsense.

No próximo dia 20 de Fevereiro irá realizar-se, em Santo Tirso, a reunião alargada da Comissão Política da Distrital do Porto, onde irão ser aprovadas algumas candidaturas às eleições autárquicas, entre elas, a de Andreia Neto.