A Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento. De acordo com o texto informativo da ONU esta reconhece a importância do Turismo para “estimular a melhor compreensão entre os povos em todos os lugares, e conduz a uma maior consciência da herança de várias civilizações e a uma melhor apreciação dos valores inerentes de diferentes culturas, contribuindo assim para o fortalecimento da paz no mundo “.

Esta decisão surge na Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio + 20), no seguimento do reconhecimento, pelos líderes mundiais de que um turismo “bem concebido e bem gerido” pode contribuir para as três dimensões do desenvolvimento sustentável, a criação de emprego e para o comércio.  Em 2015, na cimeira da ONU, em Nova Iorque foi reforçada quando a comunidade internacional   adotou a nova agenda de ação até 2030 e definiu e fixou os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).  O turismo aparece como meta em três dos novos objetivos globais da ONU.

museu_escultura_internacionalÉ a conclusão de um projecto nascido há cerca de um quarto de século, quando, em 1990, o escultor Alberto Carneiro desafiou a Câmara Municipal de Santo Tirso a lançar um simpósio de escultura contemporânea na cidade. Dez simpósios depois (1991-2013), que deixaram espalhadas pela terra 54 peças criadas por 53 artistas de todo o mundo – Carneiro é o único escultor repetido, com as obras que deram origem ao programa, Água sobre a terra e O barco, a montanha e a lua (ambas de 1990) –, Santo Tirso conta com uma sede para o seu Museu Internacional de Escultura Contemporânea (MIEC.

Álvaro Siza e Eduardo Souto de Moura são os autores do novo equipamento, que tem a particularidade de ficar ligado funcionalmente ao antigo Museu Municipal Abade Pedroso, criado no final dos anos 1980. Os dois arquitectos “Pritzker” portugueses foram convidados pela autarquia em 2013 para conceberem o novo edifício, que responderia – diz ao PÚBLICO o seu director, Álvaro Moreira – “à necessidade de reabilitar o museu municipal e criar uma nova sede para o MIEC”.

Numa solução que casa um edifício contemporâneo com a arquitectura barroca do velho Mosteiro de Santo Tirso (classificado como Monumento Nacional em 1982), o novo museu é uma espécie de “dois em um”, ligando as duas valências a partir de uma entrada e um conjunto de espaços comuns: recepção, loja, cafetaria, auditório e sala de reservas.

O conjunto das obras teve um orçamento de 4,6 milhões de euros, comparticipados em 85% por fundos comunitários.

O novo edifício do MEIC tem dois pisos: no primeiro, encontra-se o centro de documentação e de interpretação que dá a conhecer a meia centena de peças espalhadas pela cidade; no subterrâneo, sete salas profusamente iluminadas acolhem as exposições temporárias. A primeira a ter aí lugar, com inauguração também este sábado, reúne 13 peças do escultor Carlos Nogueira (n. Moçambique, 1947), sob o duplo título Casa comprida com árvores dentro (retomando o trabalho por si apresentado no 9.º Simpósio Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso, em 2013) e Casa comprida com luz e outras construções.

Com um trabalho em que utiliza materiais como a madeira, a pedra, o ferro ou o vidro, Carlos Nogueira “explora temas como a casa ou o caminho, convocando muitas vezes o espaço habitável e esbatendo as relações tradicionais entre interior e exterior”, diz o comunicado do MEIC a anunciar a exposição. Na sua carreira, o escultor de origem moçambicana representou Portugal na Bienal de Veneza de 1986, na Trienal de Arquitectura de Milão de 1996 e na Quadrienal de Escultura de Riga de 2004. Em 2013, teve uma retrospectiva no Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian, sob o título O Lugar das Coisas.

Foto e Texto: Público

Xuefei_Yang23ª edição do Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso arranca já na próxima sexta-feira, dia 13 de maio. As honras de abertura do Festival fazem-se com um grande concerto de música clássica, protagonizado por Xuefei Yang e pela Orquestra ARTAVE. No dia seguinte, Alfredo Panebianco Trio volta a Santo Tirso para nos revelar o melhor da sua World Music.

Xuefei Yang dá início ao ciclo de sete concertos que vão fazer soar a 23ª edição do Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso. Aclamada intencionalmente como uma das melhores guitarristas clássicas da atualidade, Xuefei faz-se acompanhar pela Orquestra ARTAVE para um grande momento musical, que terá lugar no dia 13 de maio, às 21h30, no Auditório Padre António Veira (Caldas da Saúde).

Primeira guitarrista chinesa internacionalmente reconhecida no cenário mundial, Xuefei Yang é considerada uma pioneira musical na China, tendo sido a primeira instrumentista desta nacionalidade a usufruir de uma bolsa integral de pós graduação na Royal Academy of Music, em Londres. Residente no Reino Unido, Xuefei conta com inúmeros álbuns gravados, tendo tocado em mais de 50 países, em salas de prestígio como o Royal Albert Hall, em Londres.

Com compromissos agendados para todo o mundo, Xuefei vem partilhar o seu magnífico talento com o nosso concelho, protagonizando ainda uma masterclass de guitarra clássica, uma das apostas pedagógicas desta edição. A formação terá lugar no dia 14 de maio, pelas 10h00, na Biblioteca Municipal.

Numa mistura de talento chinês e português, o concerto de abertura do Festival conta com acompanhamento da Orquestra ARTAVE, que garante a direção artística do evento. Constituída por cerca de 80 jovens alunos do Centro de Cultura Musical, com idades entre os 14 e os 18 anos, a Orquestra conta com um vasto e diversificado repertório sinfónico, e tem Luís Machado como maestro responsável.

Nascido em Santo Tirso, Luís Machado estudou violino na ARTAVE, concluindo uma licenciatura na mesma área na Hogeschool voor de Kunsten Utrecht, na Holanda. Com várias distinções ao longo da sua carreira, tem dirigido a Orquestra Sinfónica da ARTAVE, a Royal Academy Concert Orchestra e o Manson Ensemble.

No sábado, 14 de maio, é a vez de Panebianco Trio apresentar a sua World Music, desta vez na Biblioteca Municipal de Santo Tirso, pelas 21h30. Compositor versátil, realizou concertos, palestras e oficinas em festivais por todo o mundo, e em 2001 fez a estreia mundial da sua obra “Concerto Latino nº 1”, para guitarra e orquestra, trabalho de sucesso que o levou à composição de mais três álbuns.

Consigo traz o brasileiro Dudu Penz, considerado um dos melhores baixistas da atualidade, e Roger Blavia, percussionista de referência não só em Espanha, o seu país de origem, mas também internacionalmente.

Os bilhetes para os concertos têm o valor de 7,50€, com 50% de desconto para estudantes, e podem ser adquiridos nas instalações da ARTAVE, na FNAC do Norte Shopping e de Santa Catarina.

Danish Girl_31dezRetratos de uma Transformação” – uma seleção de fotografias do filme ‘A Rapariga Dinamarquesa’, uma marcante história de amor inspirada na vida do artista dinamarquês Einar Wegener e da sua mulher, a pintora Gerda Wegener – vai estar em exposição no Centro Comercial NorteShopping, em Matosinhos, até ao final do mês de janeiro, depois de ter estado patente no CCB – Centro Cultural de Belém.

Eddie Redmayne, vencedor de um Óscar® com ‘A Teoria de Tudo’  “dá vida” ao artista dinamarquês Einar Wegener em ‘A Rapariga Dinamarquesa’. O filme estreou nos cinemas nacionais a 31 de dezembro, pelas mãos do galardoado realizador Tom Hooper, de ‘O Discurso do Rei’ e ‘Os Miseráveis’.

“Retratos de uma Transformação” – Fotografias do filme “A Rapariga Dinamarquesa”

Local: Praça Central, Centro Comercial NorteShopping, Matosinhos

Horário:

Seg – Dom das 10h00 às 24h00

Até 31 de janeiro de 2016