sara_moreiraSara Moreira manifestou-se hoje surpreendida com o seu terceiro lugar na maratona de Nova Iorque, que lhe valeu uma receção especial na chegada ao Porto, mas, apesar da estreia auspiciosa, ainda não se vê como maratonista.

A corredora natural de Roriz, freguesia de Santo Tirso, foi recebida por meia centena de familiares e amigos, no aeroporto Franscisco Sá Carneiro, garantindo que ainda está digerir o feito obtido no domingo.

“Ainda nem percebi muito bem aquilo que fiz. A sensação é indiscritível, ainda estou assimilar tudo aquilo que aconteceu domingo”, disse Sara Moreira, que se estreou com um tempo de 2:26.00 horas e foi apenas batida por duas quenianas: Mary Keytani e Jemima Sumgong.

“Surpreendi-me a mim própria, e superei todas as expetativas. Em termos de tempo, até só fiz menos um minuto do que que contava, mas o terceiro lugar foi algo que nunca pensei”, completou.

Também surpreendida ficou a atleta com a receção que teve na chegada a Portugal: “Não contava com tanta gente, tão cedo e num dia de trabalho. Estou muito orgulhosa e satisfeita com a família que tenho e com os amigos”.

Voltando ao feito de domingo, Sara Moreira relembrou a estratégia usada na prova americana.

“Senti-me muito bem desde início e nos abastecimentos tentava começar tudo do zero mentalmente. A parte que me custou mais foi a final, quando fiquei sozinha em terceiro, em que só pensava que não podia quebrar para poder segurar a bandeira”, descreveu, ainda emocionada.

A atleta considerou que “ter pernas e ser forte psicologicamente foi fundamental para conseguir o terceiro lugar frente a algumas das melhores atletas dos mundo e bem mais experientes”.

Sobre o que o futuro lhe reserva no atletismo e o rumo que vai tomar na carreira, Sara Moreira confessou que será ainda alvo de reflexão.

“Só por esta prova me ter corrido bem ainda não consigo decidir se serei uma maratonista ou não. Isso ficará para o futuro, até porque tenho de correr outra para perceber as sensações”, sublinhou.

Quem não tem dúvidas de que Sara poderá conquistar mais êxitos nesta variante do atletismo é Pedro Ribeiro, treinador e marido da atleta.

“Foi a estreia dela na maratona, ainda por cima numa tão conceituada como a de Nova Iorque. Foi um resultado fabuloso. Está agora a começar nas maratonas, mas terá ainda muitos anos pela frente”, analisou.

O treinador falou “em dias de muito trabalho que culminaram com um grande resultado”, mas enumerou uma dificuldade ainda maior, a distância do filho de ambos, o pequeno Guilherme, que esteve no aeroporto na receção aos pais.

“Quase uma semana sem ele, para mais quando fez o primeiro aniversário, custou-nos muito”, partilhou Pedro Ribeiro.

Fonte: Lusa e Página Facebook Sara Moreira

beldaDepois de conquistar a Serra do Larouco, o espanhol David Belda (Burgos/BH) foi mais forte na chegada ao Santuário de N. Sra. da Assunção, em Santo Tirso, e festejou pela, segunda vez, uma vitória na 76ª Volta a Portugal Liberty Seguros. O trepador de 31 anos soube, uma vez mais, esperar pelo momento certo para atacar. “Esta segunda vitória em Portugal foi muito importante para mim. A primeira foi uma grande alegria e a segunda confirmou que estou num grande momento de forma. Ontem estive a um passo de ganhar na Sra. da Graça e hoje tive sangue frio no final, sabia que os últimos metros eram duros e aos 400 metros ataquei e consegui vencer”.

Concluída a 5ª Etapa, em Santo Tirso, Gustavo Veloso (OFM/Quinta da Lixa) continua a ser Camisola Amarela. Ao terminar na terceira posição, atrás do colega de equipa, Delio Fernandez, reforçou um pouco mais a liderança. “Voltou a ser um dia bom. O mais importante é não perder tempo. É como a formiguinha, dia após dia, vamos ganhando uns segundos”. Com o triunfo desta segunda-feira, David Belda subiu ao sétimo lugar e passou a liderar a classificação por pontos vestindo a Camisola Vermelha Banco BIC. O compatriota Ruben Fernandez (Caja Rural) continua desde o primeiro dia de competição a ser o melhor jovem em prova, agora na oitava posição da geral e veste a Camisola Branca RTP. O Camisola Azul Podium, António Carvalho (LA Alumínios/Antarte) está cada vez mais perto de conquistar o título de “Rei da Montanha”, esta segunda-feira tratou de ganhar as duas primeiras contagens para cimentar a liderança.

fernando_matoslista A, liderada por Fernando Matos,  cujo lema é “FORÇA TIRSENSE” venceu hoje as eleições para a Presidência do Futebol Clube Tirsense. Desta lista fazem parte os seguintes membros:

Presidente:Fernando Manuel da Costa Marques(Cerma e ex Presidente da liga dos amigos do hospital de santo tirso)
Vice -Presidente: Hernâni Correia Gomes(Advogado)
Vice-Presidente: Pedro Anibal Andrade Matos
1º Secretário: António Eduardo de Almeida Silva
2º Secretário: Sérgio Filipe Simões Ferreira

Conselho Geral:

Presidente: Alcino Ferreira dos Reis
Vice-Presidente: Paulo Jorge Antunes Ferreira
Vogais:
Rui Augusto Gonçalves Costa
Pedro Manuel Ferreira da Silva
Joaquim Alberto Silva Lima
Luis da Silva Carneiro
Mario Guimarães Sampaio
Marco Filipe Guimarães Antunes Festa (filho Sr.Festa magriço 1966)
Miguel Alberto Guimarães Antunes Festa( filho Sr. Festa magriço 1966)
Carlos Borges Ferreira
José António da Silva Dias
Pedro Miguel Coutinho Lima
Arnaldo Henrique Costa Almeida
Vítor Manuel Videira da Costa
Domingos Filipe Almeida da Silva
Delfim António Ferreira Araújo

Direcção:

Presidente: Fernando Manuel Moreira de Matos
Vice -Presidente:Rui Manuel Andrade Matos
Vogais:
Guilherme Manuel Coelho de Andrade
Fernando Ferreira Mendes
João Pedro Castro
Paulo Jorge Carneiro Gomes
Luciano Jorge da Costa Gomes

Conselho Fiscal:

Presidente: Fernando Manuel Barbosa Ferreira
Secretário: Carlos Filipe Ferreira Barbosa
Relator: Joaquim Paulo Neto de Sousa

ginasio_andebol250913Ao vencer o seu jogo relativo à 7ª jornada da Fase Final do Campeonato Nacional da 2ª Divisão por 30-25 frente ao CDE Camões, em jogo realizado no Pavilhão da Escola Secundária D. Afonso Henriques na Vila das Aves, e beneficiando da derrota do seu adversário direto na luta pela subida, a nossa equipa garantiu a subida ao escalão máximo do Andebol nacional. Depois de na época passada ter estado a um segundo de alcançar a subida, a persistência e convicção na qualidade do trabalho realizado fizeram com que esta época o objetivo de subir à 1ª Divisão Nacional não fugisse. O dia 7/6/2014 ficará para sempre marcado como o dia em que o Ginásio alcançou este enorme feito histórico! Parabéns a todos os que trabalharam para que este desfecho fosse possível, nomeadamente, jogadores, equipa técnica e dirigentes. Um agradecimento aos parceiros da equipa, destacando-se naturalmente o patrocinador principal, ETPos, e a todos os sócios e simpatizantes pelo constante apoio dado à equipa.

torneio_ringeA VIII edição do Torneio Internacional de Escolinhas de Ringe, organizado pela Associação de Moradores do Complexo Habitacional de Ringe (AMCHR), na Vila das Aves, e pela Câmara Municipal de Santo Tirso, vai ser apresentada, dia 3 de junho, terça-feira, pelas 18h30, no Complexo Desportivo de Ringe, numa cerimónia, aberta ao público, que contará com a presença do presidente do Município, Joaquim Couto, e do padrinho do torneio, o “internacional” português Ricardo Fernandes.

O torneio, que se realiza dia 8 de junho, no Estádio do Clube Desportivo das Aves, vai reunir cerca de 700 atletas, com idades entre os 5 e os 10 anos, em representação de mais de 30 clubes nacionais e estrangeiros, nomeadamente FC Porto, Guimarães, Boavista, Salgueiros 08, AS Mónaco, AD Vila do Corpus, entre outros. A anfitriã é a escola de futebol da AMCHR, conhecida por Pinheirinhos de Ringe, orientada por Adílio Pinheiro, técnico e “pai” do Torneio Internacional de Escolinhas de Ringe.

Miguel Barbosa - ralistsAusentes dos ralis há alguns meses, a dupla famalicence veio ao concelho de Santo Tirso quebrar o jejum e vencer a prova que marcou o regresso do Clube Automóvel de Santo Tirso à organização de ralis na “sua” terra.
Ainda antes do rali começar, o CAST teve a má notícia de ver dois dos principais inscritos (João Barros no Ford Fiesta R5 e Vítor Pascoal no Mitsubishi Lancer Evo VII) serem obrigados a primar pela ausência, emvirtude no atraso da chegada ao continente do barco que trazia os carros que alinharam no rali dos Açores do passado fim de semana.
Com 45 equipas à partida, o rali começou com a Super-Especial de 6ª feira à noite no centro da cidade que contou com milhares de espectadores a assistir. Logo aí Miguel J. Barbosa com o Mitsubishi Lancer Evo IX mostrou ao que vinha, vencendo a Super-Especia. Mas houve quem não tivesse a mesma alegria, como foi o caso de Marco António que perdeu uma roda ao dar um toque num passeio e vendo terminar aí o seu rali depois de um espectacular pião.
No dia de Sábado Miguel Barbosa continuou a dominar vencendo as quatro classificativas e terminando o rali com 39,6 segundos de vantagem para André Cabeças. O homem do Mitsubishi Lancer Evo V esteve sempre nesta posição sem conseguir chegar ao líder, mas sempre muito atento ao Renault Clio R3 de Joaquim Alves que ganhou um ascendente a partir de meio da prova depois de se ter desembaraçado de Amaro Melo no BMW M3 e André Martins no Citroen Saxo Cup. No oposto esteve Amaro Melo no BMW M3 que andou pela 3ª posição mas foi perdendo tempo ao longo do rali até terminar no 8º posto. Quem poderia ter tido uma palavra a dizer na prova era Nuno Coelho, mas uma saída de estrada logo no troço de abertura terminando aí a prova da equipa do Peugeot 206 GTI.
Terminada a prova, Carlos Guimarães, o Presidente do CAST, mostrava-se “satisfeito pela forma como a prova correu. Uma boa lista de participantes para um rali Sprint, e dois dias em que o publico acorreu em força, são uma excelente recompensa pelo trabalho que desenvolvemos. Temos inevitavelmente de agradecer à Câmara Municipal de Santo Tirso pela confiança depositada no CAST para este a realização deste evento.” 
Após a cerimónia de entrega de prémios, o vereador do Desporto da Câmara Municipal de Santo Tirso, José Pedro Machado, mostrou-se satisfeito com o decorrer da prova, nomeadamente pela presença de milhares de pessoas que assistiram à competição. “Percebeu-se, de forma clara, que as pessoas gostam e vivem o Rali de Santo Tirso. A autarquia acredita que são eventos como este que acabam por atrair não só a população do concelho, mas também muita gente de fora”. Aliás, acrescentou o vereador, “durante estes dois dias houve um aumento substancial das taxas de ocupação das nossas unidades hoteleiras, o que do ponto de vista da atratividade turística é muito importante”.
CLASSIFICAÇÃO FINAL:
1º Miguel Barbosa / Alberto Silva – Mitsubishi Lancer Evo IX – 15m54,3s
2º André Cabeças / Bino Santos – Mitsubishi Lancer Evo V – a 39,6s
3º Joaquim Alves / Pedro Alves – Renault Clio R3 – a 44,3s
4º Jorge Melo / José Silva – BMW M3 E30 – a 47,0s
5º André Martins / Ricardo Torres – Citroen Saxo Cup – a 52,7s
6º Celso Moura / Ludgero Leal – Peugeot 205 Rallye – 1m04,4s
7º Ivo Araújo / Miguel Mota – Citroen Saxo Cup – 1m10,2s
8º Amaro Sousa / Álvaro Pontes – BMW M3 E36 – a 1m12,9s
9º Amaro Melo / António Ferreira – BMW M3 E30 – a 1m21,2s
10º Manuel Castro / Luís Costa – Mitsubishi Lancer Evo IX – a 1m22.6s

rallystsO Rali de Santo Tirso 2014, organizado pela Câmara Municipal e pelo Clube Automóvel de Santo Tirso (CAST), vai para a estrada, dias 23 e 24 de maio, com o maior número de inscritos desde 1996. Em 2014, são 50 os participantes, menos um do que há 18 anos, quando os ralis se estrearam no concelho. A lista publicada pela Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting é rica em quantidade e qualidade, o que abre boas perspetivas para um “rali sprint” emotivo e disputado.

O interesse de pilotos e equipas em participar no Rali de Santo Tirso superou as expetativas, o que, para o diretor de prova e presidente do CAST, Carlos Guimarães, mostra “a capacidade do Clube Automóvel de Santo Tirso em organizar, juntamente com a Câmara Municipal, uma prova que tem condições de se afirmar, no futuro, como uma referência na região norte”.

O presidente do CAST manifesta-se “satisfeito” com o número de inscritos e “orgulhoso com o resultado do trabalho desenvolvido a promover e divulgar” o Rali de Santo Tirso 2014, considerando que “estão reunidas todas as condições, sob o ponto de vista organizativo e de segurança, para uma prova com muitos pontos de espetáculo”.