weg_linhaA multinacional brasileira de equipamentos elétricos Weg vai a reforçar a sua presença em Portugal com a construção de uma segunda unidade de motores, em Santo Tirso. As obras da nova unidade arrancam para a semana, com a presença de representantes da casa-mãe brasileira. A nova unidade, que inclui um laboratório de ensaios, entrará em fase de testes na primavera de 2016.

O investimento inicial da Weg é de 15 milhões, criando 150 novos postos de trabalho, mas o espaço reservado no Parque Empresarial da Ermida admite uma expansão posterior e a duplicação do investimento. A Weg comprou um lote de 10 hectares, seguindo a sua política e fazer de cada localização um polo fabril. A faturação prevista da nova fábrica será de 26 milhões de euros, dirigidos à exportação.

Com 10 centros fabris no Brasil e oito unidades no exterior, a Weg entrou em Portugal em 2002 comprando a unidade da Efacec Motors, na Maia. A base de Santo Tirso vai dedicar-se à produção de modelos de motorizações mais baixas (até 3,5 toneladas), enquanto a da Maia continua a operar nas grandes motorizações, (até 20 toneladas).

Fonte: Expresso

Imagem: Weg todos os direitos reservados

Camara_STA câmara de Santo Tirso decidiu avançar com “descontos” que vão dos 5 aos 15 pontos percentuais no Imposto Municipal Sobre Imóveis (IMI) para famílias com filhos, estimando abranger com a medida cerca de 11 mil agregados. “Trata-se de uma medida com um forte impacto social. Há cerca de 11 mil famílias do concelho que vão pagar menos IMI em 2016”, referiu esta quinta-feira o presidente da autarquia de Santo Tirso, o socialista Joaquim Couto. A redução do IMI em Santo Tirso, distrito do Porto, vai estabelecer-se em 5 pontos percentuais para famílias com um filho, 8 para as famílias com dois filhos e 15 para as que têm três ou mais.

saobento_12A maior festa do Município de Santo vai decorrer entre 8 e 12 de julho. Concertos, espetáculos de fogo de artifício e multimédia e “Há Baile no Largo” são alguns dos destaques do programa deste ano, apostado numa programação para públicos diversificados, dos 0 aos 80.

“As Festas de S. Bento são uma aposta inequívoca em termos de promoção do concelho. A partir de 2014, foi feito um esforço para dar um novo impulso e uma nova roupagem às festas, desde o Há Baile no Largo, que se irá manter, a um cartaz de qualidade para todos os gostos ou à novidade desta edição que será a Praça Colorida”, explicou o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, na sessão de apresentação do programa, que decorreu na quarta-feira, no Parque D. Maria II.

Em termos orçamentais, o valor investido nas festas deste ano é sensivelmente o mesmo do ano anterior. Segundo o autarca, “os tempos exigem rigor e responsabilidade”, pelo que o programa “mantém a qualidade”, mas não entra em loucuras.

Emanuel no dia 10 de julho, Nelson Feitas e Carlão, no dia 11 de julho, e Fado Violado, no dia 12 de julho, são os cabeças de cartaz das Festas de S. Bento 2015. Uma escolha eclética que dá destaque à música popular, ao R&B e hip-hop, e à mistura do fado com o flamengo. Os grandes concertos irão decorrer na Praça 25 de Abril, com a exceção do Fado Violado que terá lugar na bela Quinta de Fora, quase em frente ao Mosteiro de S. Bento.

Nos concertos, a edição deste ano revela ainda como novidade a presença no palco principal, localizado na Praça 25 de Abril, de grupos de Santo Tirso: Leões da Batalha, a 9 de julho, Lando, a 10 de julho, e Dan Riverman, no dia 11 de julho. “Quisemos dar a oportunidade a cantores do concelho, alguns com projeção nacional, mostrando que Santo Tirso também tem grandes valores no campo musical”, sublinhou o presidente da Comissão de Festas, Luís Freitas,

Após os concertos, a população vai poder ainda assistir a grandes espetáculos de fogo de artifício que conjugam luz e música. Sem desvendar o que está preparado para o dia 10 (sexta-feira), Luís Freita deixou no ar que tal como no ano passado, em que se introduziu esta inovação multimédia, haverá surpresas. Já no dia 11, o fogo pode ser visto nas margens do rio Ave, com a tradicional cascata.

A valorização de grupos da terra decorre, ainda, em dois momentos. O primeiro no dia 9 de julho, pelas 21h00, com um desfile pela cidade e uma arruada de bombos, nos quais participam “As Bombas” – Reguenga, Grupo de Bombos da Associação Cultural, Desportiva e Recreativa de Cabanas – Monte Córdova, Grupo de Bombos da Reguenga, Grupo de Bombos de Água Longa, Grupo de Bombos de S. Cristóvão de Refojos, Grupo de Bombos de S. Tiago da Carreira e o Grupo de Bombos “Os Cordovenses” – Monte Córdova.

O segundo decorrerá no dia no 11 de julho, pelas 16h00, com uma arruada de Fanfarras de Santo Tirso: Associação Cultural, Desportiva e Recreativa de Cabanas, B.V. Tirsenses e B.V. de Vila das Aves.

HÁ BAILE NO LARGO

Música não faltará também no “Há Baile no Largo”. Depois do êxito alcançado com a primeira edição, no ano passado, a Câmara Municipal de Santo Tirso volta a apostar nesta festa que, apesar de direcionada para os mais jovens, conseguiu a proeza de juntar várias gerações.

A festa vai repetir-se em 2015, nos dias 10 e 11 de julho, a partir da meia noite, no Largo Coronel Baptista Coelho, com a presença de nove dj’s. Miguel Rendeiro fechará a noite de sexta-feira, depois da presença de “Los Bravos – Dj Tonny e Dj Tony Bianchi”, DJ/VJ Rogério Paulo (80’s) e Pedrinho K. No sábado, o encerramento da noite irá fazer-se ao som do dj Overule, antecedido de Dj Tonny, Bruno Melhor e DJ/MC Élio Rodriguez.

“Esperamos, novamente, atrair muitos jovens não só de Santo Tirso, mas também de fora do concelho, tal como aconteceu no ano passado”, enfatizou Joaquim Couto.

PRAÇA COLORIDA É NOVIDADE

Na Praça Conde de S. Bento surge uma das novidades das festas 2015, onde vai ser colocado um tapete colorido, a cobrir grande parte da praça, com a imagem do santo. Com a utilização de serrim fino e fita de restos de botão, surgirá a imagem de S. Bento, em alto contraste, as aspirais, das formas das vestes de S. Bento, os arcos em ogiva, o vitral, o cravo e as cores de Santo Tirso.

A ligação das festas ao santo é, este ano, marcada ainda por uma grande exposição de pintura “Houve Um Homem BENTO”, de Frei Paulino Luiz de Castro, que estará patente nos Claustros da Igreja Matriz.

Iniciativas que o padre João Pedro, também presente na cerimónia de apresentação do programa das festas, destacou, por demonstrarem a ligação das festividades ao santo devoto.

ESPAÇO DA FEIRA
Finalmente, outras das diferenças da edição das Festas de S. Bento 2015 é a localização dos divertimentos que deixam de estar concentrados no recinto da feira e passam a estar nos terrenos adjacentes à Quinta de Fora, perto da ponte sobre o rio ave, junto ao Mosteiro de S. Bento.

Desta forma, o recinto da feira fica disponível para parque de estacionamento.

Santo_TirsoO Município de Santo Tirso subiu oito posições e passa a ocupar o 52º lugar do ranking dos 308 concelhos portugueses como uma das melhores cidades para viver, visitar e fazer negócios. Segundo o estudo “Portugal City Brand Ranking 2014”, levado a cabo pela empresa “Bloom Consulting”, Santo Tirso subiu, ainda, duas posições no ranking da região Norte e passa a ocupar o 16º lugar do ranking, à frente de concelhos como Famalicão, Trofa, Paços de Ferreira, Gondomar ou Valongo.

É no item de melhor Município para viver que Santo Tirso se destaca, ao ocupar o 18º lugar ao nível da região Norte, composta por um total de 86 concelhos. Segundo o presidente da Câmara Municipal, Joaquim Couto, o resultado obtido “é uma consequência das políticas urbanísticas seguidas nos últimos 30 anos“.

“O concelho teve uma política de gestão urbanística exemplar que permitiu o seu crescimento de uma forma equilibrada, numa harmonia entre o património edificado e o património natural e paisagístico”, explicou.
Outro dos parâmetros avaliados pela empresa são os negócios. E aqui, Santo Tirso também aparece em destaque ao ocupar o 19º lugar da região Norte.

“Sentimos que o investimento privado está de volta a Santo Tirso. Temos empresas de referência a nível nacional e internacional que continuam a crescer e estamos a incentivar o aparecimento de novos negócios, nomeadamente com a criação do Invest Santo Tirso – Gabinete de apoio ao investidor”, aponta Joaquim Couto.

No último item em análise, melhor Município para visitar, Santo Tirso ocupa o 25º lugar na região Norte. E são vários os motivos para conhecer o concelho. Desde o Museu Internacional de Escultura Contemporânea ao Ar Livre, ao património histórico do Mosteiro de S. Bento, do Santuário Nossa Senhora da Assunção, o Mosteiro de Roriz, o mosteiro de Singeverga, até ao património paisagístico como o Parque Ribeiro do Matadouro, o Parque da Rabada e as margens do rio Ave.

De acordo com o presidente da autarquia, o atual executivo tem apostado “na promoção externa” do concelho, quer com a organização de eventos de referência nacional, quer através da implementação de uma estratégia de marketing e de divulgação de Santo Tirso fora de portas.

PARÂMETROS AVALIADOS
O estudo da Bloom Consulting tem como objetivo medir o valor da marca dos municípios, tendo em conta diversos indicadores económicos e sociais. Partindo da questão – Por que são alguns municípios mais atrativos do que os outros? –, resultaram os objetivos de avaliar o impacto das estratégias políticas, de urbanismo e de promoção de cada município e o de identificar as potencialidades e fragilidades de todos os municípios portugueses, nas áreas do negócio, investimento, talento e qualidade de vida.

Tendo como indicadores o número de empresas do concelho, as dormidas e a população, a empresa que fez este estudo refere que os dados permitem avaliar a atividade empresarial, a dimensão da indústria turística e os movimentos migratórios populacionais em cada município.

Em Negócios (Investimento), foi considerada a percentagem de novas empresas sobre o total de empresas. Em Visitar (Turismo), foi tida em conta a taxa de ocupação hoteleira. Em Viver (Talento), foram consideradas, não só as taxas de desemprego e de criminalidade, mas também o poder de compra de cada munícipe, relativamente à média nacional.

Estes indicadores permitem compreender o clima de negócios, o desempenho hoteleiro, o nível de segurança e ainda as oportunidades oferecidas a novos residentes. Finalmente, e por forma a fazer justiça aos municípios menos populosos, foram incluídos indicadores de rácios.
Isto permite entender qual das três dimensões, Negócios (Investimento), Visitar (Turismo) e Viver (Talento), é a componente socioeconómico mais importante em cada município. Por sua vez, na dimensão Negócios (Investimento), foi calculado o número de empresas por habitante, enquanto que na dimensão Visitar (Turismo), foi calculado o número de dormidas por habitante bem como, o número de habitantes por centro médico e estabelecimentos de ensino superior, por 10.000 habitantes.

centro_saude_saomartinhoO presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, assinalou esta segunda-feira a abertura na Unidade de Saúde de S. Martinho do Campo, com uma visita ao local. “É com grande satisfação que damos por concluído um processo e que, finalmente, este equipamento fica à disposição dos utentes”, congratulou-se o autarca.

No final da visita, e em declarações aos jornalistas, Joaquim Couto considerou que as novas instalações vão melhorar o atendimento prestado aos cerca de 12 400 utentes abrangidos por esta unidade de saúde.

“São, de facto, instalações de excelência, de grande qualidade, pelo que esperamos que alguns dos problemas reclamados pela população possam ser resolvidos”, realçou.

Segundo informações prestadas no local pela diretora dos Agrupamentos de Centros de Saúde de Santo Tirso/Trofa, Ana Tato, a Unidade de Saúde de S. Martinho tem atualmente sete médicos, sete enfermeiros e cinco administrativos, mais um do que anteriormente.

Ainda de acordo com aquela responsável, está garantido que nenhum utente de Santo Tirso está sem médico de família. O rácio de utentes varia entre os 1900 por médico, e os 1700 por médico.

A Unidade de Saúde de S. Martinho abriu hoje pelas 14h00. Tem consulta aberta e funciona entre as 8h00 e as 20h00. Na visita ao local, Joaquim Couto esteve acompanhado pelo vereador da Coesão Social, Alberto Costa, e o presidente da União de Freguesias de Campo (S. Martinho), S. Salvador do Campo e Negrelos (S. Mamede), Marco Cunha.

A construção da nova Unidade de Saúde de S. Martinho do Campo resultou de um protocolo entre a Câmara Municipal de Santo Tirso e a ARS/Norte e significou um investimento de cerca de um 1,1 milhão de euros.

As obras contemplaram a construção de um edifício de raiz. No piso superior, a nova Unidade de Saúde de S. Martinho do Campo dispõe, para além de uma área de atendimento e secretaria, oito gabinetes médicos, oito gabinetes de enfermagem, três salas de tratamento, um gabinete polivalente e, ainda, um setor dedicado à Saúde Materna e Infantil, com zona de espera específica.

No piso inferior, dispõe de uma sala de reuniões, gabinete do coordenador, gabinete de planeamento e coordenação, sala de pessoal/cafetaria, vestiário de pessoal, depósitos de material clínico, terapêutico e de consumo, arquivo e, ainda, área para instalações técnicas, garagem e recolha temporária de resíduos sólidos.

amiantoA câmara de Santo Tirso avançou hoje que a retirada das coberturas de fibrocimento das escolas do primeiro ciclo e pré-escolar do concelho atingiu os 75%, exigindo que o Governo “faça a sua parte” nas EB 2-3.

“Da nossa parte estamos a cumprir, mas o Governo não está. Existem escolas em Santo Tirso que ainda não foram intervencionadas”, disse o presidente da autarquia de Santo Tirso, Joaquim Couto que falava à agência Lusa à margem de uma visita às obras em curso na EB1 de Areias, localizada neste concelho do distrito do Porto.

À câmara cabe retirar as coberturas passiveis de conterem partículas de amianto nas escolas de ensino básico e jardins-de-infância, enquanto o Governo é responsável pelos estabelecimentos de ensino secundários e EB 2-3.

Mas segundo Joaquim Couto em Santo Tirso a EB 2-3 de S. Rosendo e a EB 2-3 de Vila das Aves, que albergam cerca de 700 alunos, ainda não foram intervencionadas.

Questionado sobre se pretende tomar alguma medida, o autarca apontou que a vereadora da área da Educação, Ana Maria Ferreira, “procurará averiguar junto do Ministério [da Educação e Ciência] sobre o porquê de Santo Tirso estar a ser ignorado no plano nacional de retirada de amianto das escolas”.

Relativamente aos estabelecimentos de ensino que estão na alçada da autarquia, Joaquim Couto garantiu que o próximo ano letivo, 2015/16, se iniciará “sem amianto nas coberturas”.

As empreitadas que estão a ser levadas a cabo pela autarquia visam nove escolas, num total de cerca de mil alunos, dos 03 aos 10 anos de idade, e um investimento superior a 400 mil euros.

A par da retirada das placas de fibrocimento, a câmara de Santo Tirso aproveitou, descreveu Joaquim Couto, para fazer algumas reparações como arranjo de casas de bano, drenagem de águas e colocação de telhados novos que permitem a melhoria da eficiência energética dos edifícios.

“Foi feita uma planificação com as juntas de freguesia e com as direções das escolas para causar o mínimo de perturbação nas atividades letivas. Temos seis escolas concluídas e as restantes três ficam prontas até ao verão”, concluiu.

hora_planetaNo próximo sábado, 28 de março, o município de Santo Tirso junta-se às comemorações da 9º edição da Hora do Planeta.
De forma a mostrar o apoio à iniciativa, às 20h30, durante 60 minutos, serão desligadas as luzes do edifício dos Paços do Concelho, e de forma parcial as luzes do Parque Urbano da Rabada, do percurso pedonal e clicável das margens do Ave e de várias praças e jardins no centro da cidade.
Ainda no âmbito desta campanha da Hora do Planeta, durante o ano de 2015 o município compromete-se a promover políticas de eficiência energética nos seus serviços, incluindo a instalação de coberturas (mantas térmicas) nos dois tanques da Piscina Municipal.

Como uma das primeiras campanhas acerca das alterações climáticas, a Hora do Planeta tem crescido a partir de um evento simbólico numa única cidade para o maior movimento do mundo em defesa do ambiente.
Centenas de países, entre os quais Portugal, preparam-se para enviar uma mensagem conjunta de que é agora o momento de agir pelo planeta e que todos temos o poder para mudar o mundo em que vivemos. Com a mensagem Usa o teu poder contra as alterações climáticas pretende-se este ano sublinhar a necessidade de fazermos algo, numa base diária, contra a que é considerada como a maior ameaça à biodiversidade mundial.

A Hora do Planeta em 2014 chegou a 162 países e territórios, a mais de 7000 cidades e vilas. Em Portugal, 90 municípios aderiram e centenas de monumentos emblemáticos nacionais ficaram às escuras, como a Ponte 25 de Abril, o Mosteiro dos Jerónimos, o Cristo Rei, em Lisboa e o Convento de Cristo, em Tomar.

Em 2015, a Hora do Planeta pretende aproveitar o poder dos seus milhões de adeptos em todo o mundo para mudar as alterações climáticas.