Fabrica STTA Volkswagen voltou a escolher a portuguesa Copo Têxtil para equipar, desta vez, o tecido dos tectos e pilares e o tecido dos assentos, dos modelos Passat e Sharan & Alhambra, respetivamente, num contrato que tem um valor total de €23,4M.

Depois de, no início do ano, a empresa de Santo Tirso ter fechado um contrato de 4 anos, no valor total de €14M pelo VW Polo, foram agora adjudicados mais dois modelos da marca Volkswagen.

“O modelo Passat é um contrato de 7 anos, com um valor total de €18,9M e o Sharan & Alhambra representa €4,5M em 3 anos”, explica Gilmar Padeiro, diretor da Copo Têxtil Portugal.

Os 213 mil automóveis Volkswagen Passat que vão ser revestidos com os tecidos da Copo Têxtil estarão disponíveis no mercado a partir de janeiro de 2015 em todos os países da União Europeia e, também, na Rússia.

Por sua vez, os 60 mil VW Sharan & Alhambra que contarão com os tecidos dos assentos fornecidos pela empresa portuguesa estarão disponíveis, a nível mundial, apenas a partir de maio de 2015.

“A adjudicação destes modelos é muito importante para nós e representa um aumento total de 16% no volume de negócios anual previsto, 10% o modelo Passat e 6% o Sharan & Alhambra”, explica o responsável.

O fornecimento do modelo Passat requer, ainda, que a Copo Têxtil faça um investimento de 300 mil euros quer na ampliação da capacidade de tinturaria e acabamento quer na contratação de mais recursos humanos.

A adjudicação de mais 2 modelos por parte da Volkswagen representa para a Copo Têxtil Portugal uma consolidação no maior construtor Automóvel Europeu.

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestShare on Tumblr

cigarron2014O Club Setas Bar Bombeiros vem por este meio agradecer a todos os participantes, portugueses e espanhóis a vossa presença na edição 2014 do Cigarron.

Aproveitamos para vos confidenciar que conseguimos alcançar o nosso maior objetivo, tornar o “jogo das setas” um jogo de convívio e alegria em que o fair play ultrapassou rivalidades e fronteiras.

Com estas iniciativas, o Clube de Setas Bar Bombeiros pretende ajudar a incentivar a prática deste fantástico desporto, promovendo a diferença e enaltecendo aqueles que fazem das setas uma maneira de estar na vida.

A todos os patrocinadores: FF, Manuel de Magalhães S.A., Transnos e MR’s Cosméticos, assim como á Direção dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso (Vermelhos) e ao Dr. Azuil em particular, o nosso muito obrigado pela disponibilidade  demonstrada no apoio á realização deste evento.

Cá vos esperamos no próximo ano, a 14 de fevereiro, para a próxima edição do CIGARRON.

Classificações:

As 8 + do CIGARRON:
1ª Sandra Faria = Portugal = B.B.1
2ª Elisabete Martins (Beta) = Portugal = Cortegaça
3ª Silvia Torcato = Portugal = B.B.1
4ª Patricia Dias (Tixa) = Portugal = TNT
5ª Mónica Andrade = Portugal = Latitude
6ª Fatima Lois = Espanha
7ª Sónia Ribeiro = Portugal = B.B.1
8ª Elisabete Ribeiro = Portugal = B.B.2

Os 16 + do CIGARRON:
1º Pi Ruben Orozco Alvarez = Espanha
2º Pedro Marques = Portugal = Latitude
3º Rui Sousa = Portugal = TNT-Quinta da Caverneira
4º Borja Sanchez Bra = Espanha
5º Fernando Francisco = Espanha = B.B.1
6º Kino Alonso = Espanha
7º Filipe Santos = Portugal = B.B.1
8º Miguel Torres = Portugal = Latitude
9º Joaquim Gonçalves = Portugal
10º Rafael Cunha = Portugal = B.B.2
11º Ricardo Campos = Portugal = B.B.1
12 Mário Maia = Portugal = Alvarelhos
13 José Fernandez = Espanha
14º Crispim Miranda = Portugal = B.B.1
15º Joanillo Calvo = Espanha
16º Vitor Rodriguez = Espanha

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestShare on Tumblr

1__4stsonlineO presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, terminou uma ronda de reuniões com os seus homólogos da Trofa, Famalicão, Maia, Valongo, Paços de Ferreira e Matosinhos, com o objetivo de estabelecer sinergias em áreas como os fundos comunitários, as acessibilidades, os transportes, os equipamentos, o ambiente, cultura e turismo. “Mais do que nunca, urge a concertação de posições entre municípios, no sentido de estabelecer plataformas de entendimento quanto às questões de índole supramunicipal”, justificou.

Durante as duas últimas semanas, Joaquim Couto promoveu várias reuniões com os presidentes dos concelhos vizinhos de Santo Tirso. A ideia, como explicou, prende-se com a necessidade avançar com políticas supramunicipais em diversas áreas. Para o autarca, “preconizar uma política autónoma em áreas como os transportes, as acessibilidades ou os fundos comunitários não surtirá efeito, pois já não é possível pensar em crescimento e desenvolvimento sustentável de uma forma fechada e individualizada”. Assim, acrescentou, “as políticas municipais só terão viabilidade se forem vistas num âmbito territorial mais vasto e com uma massa crítica populacional”.

Em cima da mesa, estiveram temas como um Plano Estratégico concertado para a bacia do rio Leça, envolvendo Maia, Valongo e Matosinhos, um plano integrado de promoção cultural e desportiva, beneficiando do conjunto de equipamentos dos diversos municípios, o Roteiro da Cultura Castreja, a Rota do Românico a rede de transportes intermunicipal, ou as questões relacionadas com o ambiente.

Estas primeiras reuniões foram o pontapé de saída para o trabalho que se pretende desenvolver nos próximos meses. Segundo Joaquim Couto, foram definidas algumas ideias ao nível da estratégia política que, agora, passarão para o domínio técnico. Destes encontros, explicou, “saiu a decisão de serem organizadas comissões de trabalho, no sentido de se avançar tecnicamente em diversos dossiês”.

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestShare on Tumblr

aguaxcAs Câmaras da Trofa e de Santo Tirso dizem não ter ficado surpreendidas com o relatório do Tribunal de Contas sobre o setor das Águas que diz haver “desequilíbrio” na concessão nestes municípios e querem dialogar com a concessionária.

Em declarações à Lusa, o presidente da autarquia da Trofa, Sérgio Humberto afirmou que o contrato de águas com a INDAQUA Santo Tirso/Trofa, S.A. (concessionária) é “altamente penoso” para o município ao qual preside, enquanto o presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto disse “não estar surpreendido” pois as questões constantes do relatório tinham sido alvo de “discussão interna”.

Ambos os autarcas reagiam à notícia de que uma auditoria do Tribunal de Contas (TdC) às parcerias público-privadas no setor das Águas considerou que a concessão nos municípios de Santo Tirso e da Trofa tem uma “matriz de risco desequilibrada” por ser “altamente penalizadora” para estas autarquias.

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestShare on Tumblr

YR8B0298O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, presidiu esta sexta-feira, dia 28 de fevereiro, à sessão de abertura das comemorações do Dia da Proteção Civil no concelho, que juntou mais de uma dezena de entidades. Pela primeira vez, aludiu o autarca, “quisemos organizar um grande evento, tendo a consciência de que a Proteção Civil começa com a prevenção, com a formação e informação às pessoas”.

O Município tem sido, nos últimos anos, um exemplo nesta área. Foi, inclusivamente, um dos primeiros no país a apresentar e a fazer aprovar um Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de segunda geração. “Santo Tirso foi um dos primeiros municípios a apresentar este plano, entretanto aprovado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC)”, elogiou o 2º Comandante Operacional Distrital da ANPC, Vítor Azevedo, também presente na cerimónia de abertura. Um Plano Municipal que, acrescentou Joaquim Couto, “está a ser atualizado e articulado com as diversas entidades envolvidas nesta matéria”.

Num concelho em que a área florestal representa cerca de 46 por cento do território, os incêndios florestais são os principais riscos identificados. Neste contexto, o presidente da Câmara de Santo Tirso recordou a medida recentemente aprovada pelo executivo municipal para 2014 que isenta os proprietários de prédios rústicos com ocupação florestal do pagamento do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). De acordo com Joaquim Couto, desta forma pretende-se “incentivar a limpeza de terrenos”, envolvendo o cidadão na “prevenção dos incêndios”.

Outra das preocupações da autarquia tem sido as atividades desenvolvidas pelo Serviço Municipal da Proteção Civil com a comunidade escolar. Para este ano, estão previstas várias ações de sensibilização junto das escolas, através dos Clubes de Proteção Civil. “Educar para a segurança é construir uma cultura de segurança. O nosso lema de futuro é prevenir para não remediar”, enfatizou Joaquim Couto, apontando: “Se os nossos objetivos forem cumpridos, então teremos dado um contributo muito forte para a sensibilização, informação e formação das gerações futuras”.

Em termos de projetos, a Câmara Municipal de Santo Tirso irá, brevemente, disponibilizar formação aos técnicos na área da Gestão Operacional, montar um posto de comando conjunto e criar um posto de comando móvel.

A decorrer até sábado, 1 de março, na Praça 25 de Abril, o Dia da Proteção Civil em Santo Tirso conta com várias iniciativas, entre as quais rastreios gratuitos, demonstrações sobre suporte de básico de vida pediátrico e sénior e exercícios de rappel. Um dos momentos será a simulação de um acidente rodoviário, envolvendo uma viatura ligeira e uma viatura pesada de matérias perigosas.

Esta grandiosa mostra de meios envolve mais de uma dezena de entidades, desde a Autoridade Marítima do Norte, a ANPC, o Exército, a GNR, a PSP, as corporações de bombeiros do concelho, o INEM, o Centro Hospitalar do Médio Ave, a Cruz Vermelha Portuguesa ou a Polícia Municipal de Santo Tirso. Estão, também, envolvidos os Clubes de Proteção Civil dos estabelecimentos de ensino do Município.

Com este evento, a autarquia pretende sensibilizar os cidadãos para a importância da adoção de comportamentos de autoproteção, numa lógica de promover uma cultura de segurança.

De entre as atividades permanentes que poderão ser vistas na Mostra, destaque para a demonstração da funcionalidade do Veiculo de Gestão Estratégica e Operações, a cargo da ANPC, mostras de técnicas de suporte básico de vida, manuseamento de extintores e de salvamento, a cargo dos Bombeiros Voluntários Tirsenses, de Santo Tirso e de Vila das Aves, o patrulhamento a cavalo feito pelo Destacamento de Intervenção do Porto do Regimento de Cavalaria da GNR, as intervenções a cargo do Exército, tais como a torre multiatividades e o rappel, as atividades pedagógicas e os rastreios de saúde a cargo do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Santo Tirso/Trofa, Centro Hospitalar do Médio Ave, Liga dos Amigos do Hospital de Santo Tirso, INEM e Cruz Vermelha Portuguesa.

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestShare on Tumblr

14094934Micaela Oliveira foi ameaçada de que se não entregasse 24 mil euros seriam divulgados vídeos alegadamente comprometedores da filha, de 18 anos. A extorsão foi orquestrada por um estudante, de 19 anos, do círculo de amigos da jovem, que acabou detido e levado, ontem, ao Tribunal de Santo Tirso. Ficou em liberdade, mas com a obrigação de apresentar-se semanalmente num posto policial, desconhecendo-se se foi aplicada mais alguma medida de coação.

O estudante terá exigido dinheiro para não fazer chegar à imprensa cor de rosa filmagens em que a filha da estilista assumiria comportamentos que poderiam pôr em causa a imagem da jovem. Após várias mensagens de chantagem, Micaela Oliveira decidiu denunciar a situação às autoridades. Foto: Lux

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestShare on Tumblr