A Câmara de Santo Tirso inaugurou, esta terça-feira, 31 de Julho, o canil/gatil municipal. As instalações estão equipadas para receber até 34 animais, num investimento de cerca de 600 mil euros, totalmente suportado pela autarquia.

O edifício de 2500 metros quadrados, construído de raiz num terreno municipal, “está equipado com 20 boxespara canídeos, sendo uma delas para maternidade, quatro boxes para felídeos, quatro boxes para felídeos em quarentena, duas boxes para canídeos perigosos, duas boxes para canídeos em quarentena e uma box para outras espécies”, refere a autarquia do distrito do Porto.

Situado no lugar de Ermida, na freguesia de Santa Cristina do Couto, no equipamento já se encontram “oito cães, todos recolhidos na via pública”, acrescenta a nota de imprensa. Em termos de serviços prestados, o canil/gatil municipal de Santo Tirso vai intervir na “captura de animais vadios, recolha ao domicílio de animais mortos e vivos, identificação electrónica e vacinação antirrábica – este serviço será pago pelos detentores – e ainda a esterilização de todos os que dão entrada nos Centros de Recolha Oficial de animais de companhia (CRO)”.

Até hoje, lembra a autarquia, e fruto de um protocolo com Guimarães, a câmara levava os animais recolhidos na rua para aquele município vizinho, situação que deixa de se verificar depois de “Santo Tirso passar a ter uma resposta própria”.

Para além do espaço para os animais, no edifício funcionam ainda “dependências de apoio, como vestiários/instalações sanitárias para funcionários, sala de preparação de refeições e de cirurgia, zona administrativa e de armazenamento, consultório de atendimento veterinário e enfermaria”, informa ainda a autarquia.

Nove pessoas foram atropeladas e sofreram ferimentos ligeiros na noite deste domingo, depois de terem sido colhidas no Lago Discount, em Ribeirão, Famalicão.

Os feridos foram transportados ao hospital de Famalicão e Cruz Vermelha de Ribeirão, que socorreram as vítimas com apoio da VMER de Famalicão.

Segundo confirmou a GNR à agência Lusa, tratou-se de um acidente relacionado com corridas ilegais. A zona é já conhecida por ter “aceleras” a realizarem alguns piões com várias pessoas a assistir, ao domingo à noite.

A Unidade de Ação Fiscal da Guarda Nacional Republicana (GNR) apreendeu em Santo Tirso, distrito do Porto, 17.560 peças de vestuário contrafeito, no valor de 405 mil euros, anunciou esta terça-feira aquela força policial. Em comunicado enviado à agência Lusa, a GNR informa que a ação, levada a cabo no sábado pelo Destacamento de Ação Fiscal do Porto, ocorreu “no decurso de uma operação de fiscalização de bens em circulação”, seguindo a mercadoria detetada “numa viatura sem que o motorista exibisse qualquer documento que justificasse a sua legal proveniência e destino”. “Após exame realizado às peças de vestuário transportadas, verificou-se que se tratava de produtos contrafeitos”, acrescenta a nota de imprensa. O condutor da viatura, de 30 anos, foi identificado, sendo os factos comunicados ao Tribunal Judicial de Santo Tirso. Em declarações à agência Lusa, o comandante do Destacamento de Ação Fiscal de Coimbra, Rui Chantre, revelou “ser português e residente na zona norte o cidadão que seguia na viatura” intercetada. Segundo o militar, a “mercadoria apreendida constava de t-shirts, polos de meia manga e boxers”, material normalmente “associado ao comércio de feira, mercados e vendas online”.

Um acidente, esta quinta-feira de manhã, entre dois ligeiros, em Rebordões, Santo Tirso, cortou o trânsito na estrada nacional 105, que liga o Porto a Guimarães. A colisão, que envolveu um jogador do Desportivo das Aves, não provocou feridos mas deixou estragos nas duas viaturas.

O jogador Amilton Silva, de 28 anos, que atua no Desportivo das Aves, é um dos condutores envolvidos no acidente que cortou o trânsito na nacional 105.

O atleta brasileiro, natural do Pernambuco, que seguia ao volante de um Porsche, não teve qualquer ferimento. O outro condutor também saiu ileso, tendo-se registado apenas estragos nos dois carro

Mais de 12 mil utentes da Unidade de Saúde Familiar (USF) de São Martinho do Campo, em Santo Tirso, vão poder usufruir de consultas de saúde oral, a partir de janeiro de 2018. A medida resulta de um acordo entre a Câmara Municipal de Santo Tirso e o Ministério da Saúde.

Na passada sexta-feira, dia 13 de outubro, o Presidente da Câmara, Joaquim Couto, e o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, assinaram um protocolo de intenções que possibilitará a realização de consultas de saúde oral gratuitas.

Na prática foi decidido estabelecer uma parceria entre a câmara e o Ministério da Saúde para a colocação de um médico dentista e a respetiva auxiliar ao serviço, funcionando nos mesmos moldes de um médico de família.

Assim, um utente que seja isento também beneficiará de consultas de saúde oral gratuitas, enquanto os restantes utentes pagarão as taxas moderadoras em função do seu escalão.

A Câmara Municipal de Santo Tirso acrescenta que cabe ao Ministério da Saúde fornecer as instalações, tendo sido escolhida a USF de São Martinho do Campo. Do lado da autarquia fica o investimento no equipamento, cerca de 50 mil euros.

A reunião também serviu para discutir um segundo protocolo que visa a implementação de serviços médicos na área de medicina geral dentária, no Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA), com a Cooperativa de Ensino Superior Politécnico Universitário (CESPU).

As consultas de saúde oral arrancam em janeiro de 2018 para os utentes mais carenciados.

Um incêndio em Lamelas, concelho de Santo Tirso, obrigou esta noite à retirada de sete idosos das duas habitações em Guimarei, disse à Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários, Joaquim Souto. “Temos falta de meios. Tivemos que nos limitar à defesa das casas e das pessoas”, admitiu o comandante segundo o qual, a proximidade do fogo de habitações obrigou a, pelas 23h25, retirar cinco pessoas, por prevenção. Segundo o comandante, pelas 01h30 o incêndio ainda não estava controlado, mas não havia casas em risco. “Agora vamos fazer uma avaliação da situação para definir a estratégia de combate ao incêndio”, contou, lamentando a falta de meios de combate. Segundo a página oficial da Proteção Civil, o incêndio em Lamelas deflagrou pelas 14h13 de domingo e pelas 01h30 estava a ser combatido por 57 operacionais, apoiados por 20 veículos.