-

A associação está a pedir alimentos e produtos de higiene básico e a aceitar também doações monetárias, com os produtos a serem enviados para o país já esta sexta-feira.

A Cruz Vermelha informou que os bens mais necessários são: bolachas, alimentos enlatados com período de validade prolongado, água, sabonetes, lixívia, e outros produtos de higiene, como pastas de dentes.

Caso pretenda fazer um donativo monetário para o Fundo de Emergência da Cruz Vermelha, pode fazê-lo através de transferência via multibanco (Pagamento de serviços -> Entidade: 20 999 -> Referência 999 999 999) ou por transferência bancária com o IBAN PT50 0010 0000 3631 9110 0017 4.

Os donativos serão geridos pelo presidente Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa, Francisco George, e posteriormente encaminhados para a Cruz Vermelha Internacional. De momento, a Cruz Vermelha Portuguesa enviou uma doação de cinco mil euros para ajudar os moçambicanos.

Também a Cáritas Portugal se está a movimentar para ajudar as vítimas do ciclone. “Estamos articulados com a Cáritas Internacional: a Cáritas de Moçambique lançou o apelo de emergência que é dirigido para todas as Cáritas da rede”. A Cáritas Portugal vai enviar 25 mil euros para a sua contraparte moçambicana e está ainda a fazer uma recolha de fundos. Se desejar contribuir, o NIB associado ao fundo de emergência desta organização é o PT500033 0000 010 900 40 150 12.

De acordo com as previsões da Unicef, serão necessários 17,9 milhões de euros para dar resposta à passagem do ciclone Idai nos três países.

Portugal vai ajudar Moçambique através da União Europeia, que disponibilizou um financiamento de 3,5 milhões de euros.