A Associação de Santo Tirso de Futsal em coorganização com a CM de Santo Tirso, União de Freguesias, Associação de Futebol de Braga e Federação Portuguesa de Futebol irá organizar o torneio “Santo Tirso Futsal Cup” nos dias 8 e 9 de Junho no Pavilhão Municipal de Santo Tirso.

Este torneio homologado pela Federação Portuguesa de Futebol, com elevado nível competitivo e de âmbito internacional contará com as seguintes equipas dos escalões de Benjamins e Infantis: Burinhosa Futsal, D. Jorge Antunes, Vigo 2015 (Espanha), Baiña Fútbal Sala (Espanha), ADCR Caxinas e Football Club Dinardais (França).

A anteceder este torneio, irá se realizar-se as Jornadas no Futsal de Formação no dia 7 de Junho, das 21h às 24h, na Biblioteca Municipal de Santo Tirso. Esta é uma Formação Contínua Específica de Futsal gratuita que confere 0,6 UC onde serão oradores: Pedro Palas (Treinador Nacional), João Macedo (Selecionador Distrital da AF Braga), Raúl Moreira Raúl Moreira (Diretor Técnico ADCR Caxinas), André Martins (Treinador sub 17 ADRC Caxinas) e Raúl Moreira (jogador da ADCR Caxinas e da seleção).

Estes dois eventos são abertos a toda a comunidade a qual está convidada a participarem.

Para mais informações consultar da pagina do clube https://www.facebook.com/SantoTirsoFutsal ou do torneio https://www.facebook.com/SantoTirsoFutsalCup.

O passe único entra em vigor em Santo Tirso a partir de Junho dado que duas transportadoras a operar no concelho estão ainda em processo de aquisição dos validadores, informou esta segunda-feira o presidente da autarquia. Servido pela Pacense, Landim, Arriva, Grupo Transdev e Transportes Urbanos de Santo Tirso (TUST), o concelho do distrito do Porto, segundo o autarca, foi autorizado pela Área Metropolitana do Porto (AMP) a fazer uma transição faseada, adiando para 1 de junho a entrada em vigor do passe único.

Segundo o presidente da autarquia, Joaquim Couto, o Grupo Transdev e os TUST “ainda estão em fase de aquisição dos equipamentos [validadores] necessários para a adaptação ao passe único”. Na semana passada, a AMP lembrou que há “operadores onde a utilização [do passe único] não será possível [já a 01 de abril] por falta de validadores”, entre eles o Grupo Transdev, em Santo Tirso, mas deixou a expectativa de que partir de 01 de Maio o título de transporte pudesse ser implementado nos 17 concelhos da região.

Os passes [de cada um dos operadores] passam a ter o valor de 30 euros, dentro do município, e de 40 euros, fora dele”. O acontece, detalhou, é que “até Junho, os titulares desses passes apenas poderão usufruir da transportadora com quem operam hoje”, sublinhou. A partir de Junho, com a integração destas carreiras no Andante, o passe dará para andar em qualquer meio de transporte, seja Metro do Porto, STCP, rodoviário privado ou na CP.

Em conferência de imprensa na Central de Transportes de Santo Tirso, Joaquim Couto considerou que esta medida levada a cabo pelo Governo tem “mais impacto” para quem vive naquele município do distrito do Porto do que “um aumento salarial”. Os utilizadores do passe municipal de transporte em Santo Tirso terão uma “redução anual que pode chegar aos 500 euros” anuais e para quem tem de viajar para fora do município o ganho anual em transporte rodoviário, por exemplo, para o Porto “será de 630 euros”, notou. Já no transporte ferroviário, o utilizador do passe único “atingirá os 164 euros de poupança”, elencou o presidente da Câmara.

Ao nível dos títulos individuais de transporte, Joaquim Couto disse “não estar prevista nenhuma medida que vise reduzir o tarifário” nem o “alargar ao resto do concelho dos benefícios à população mais desfavorecida que utiliza o TUST”. “Está previsto estudar essa questão no futuro. Parece-nos razoável que algo venha a ser feito para melhorar também os títulos individuais”, disse.

Joaquim Figueiredo e Davide Figueiredo Dois Campeões Nacionais e Mundiais vão representar a Seleção Portuguesa, no Mundial de Masters
Realiza-se, entre 24 e 30 de Março em Torum na Polónia, o campeonato do Mundo de Atletismo Master- Pista Coberta.
Neste Campeonato do Mundo vão participar mais de 4.000 atletas em representação de 82 países.
O Clube de S. Salvador do Campo vai estar representado por os dois irmãos Joaquim Figueiredo (M50) Davide Figueiredo (M 45).

A associação está a pedir alimentos e produtos de higiene básico e a aceitar também doações monetárias, com os produtos a serem enviados para o país já esta sexta-feira.

A Cruz Vermelha informou que os bens mais necessários são: bolachas, alimentos enlatados com período de validade prolongado, água, sabonetes, lixívia, e outros produtos de higiene, como pastas de dentes.

Caso pretenda fazer um donativo monetário para o Fundo de Emergência da Cruz Vermelha, pode fazê-lo através de transferência via multibanco (Pagamento de serviços -> Entidade: 20 999 -> Referência 999 999 999) ou por transferência bancária com o IBAN PT50 0010 0000 3631 9110 0017 4.

Os donativos serão geridos pelo presidente Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa, Francisco George, e posteriormente encaminhados para a Cruz Vermelha Internacional. De momento, a Cruz Vermelha Portuguesa enviou uma doação de cinco mil euros para ajudar os moçambicanos.

Também a Cáritas Portugal se está a movimentar para ajudar as vítimas do ciclone. “Estamos articulados com a Cáritas Internacional: a Cáritas de Moçambique lançou o apelo de emergência que é dirigido para todas as Cáritas da rede”. A Cáritas Portugal vai enviar 25 mil euros para a sua contraparte moçambicana e está ainda a fazer uma recolha de fundos. Se desejar contribuir, o NIB associado ao fundo de emergência desta organização é o PT500033 0000 010 900 40 150 12.

De acordo com as previsões da Unicef, serão necessários 17,9 milhões de euros para dar resposta à passagem do ciclone Idai nos três países.

Portugal vai ajudar Moçambique através da União Europeia, que disponibilizou um financiamento de 3,5 milhões de euros.

A segunda fase da requalificação da Praça Camilo Castelo Branco já está no terreno e segue a linha pensada para toda a cidade de modo a aumentar a segurança dos peões. O investimento é de 300 mil euros e a obra terá a duração de 150 dias.

Depois de, com a primeira intervenção, terem sido eliminados os constrangimentos de trânsito no cruzamento, a segunda fase da obra na Praça Camilo Castelo Branco estende-se à Rua Dr. Joaquim Pires de Lima e ao troço da Rua dos Carvalhais e irá permitir a criação de uma via totalmente livre de barreiras para pessoas com mobilidade reduzida. Os peões passam a ter a possibilidade de utilizar toda a largura da via.

Consequentemente, o espaço automóvel será reduzido, fruto de uma politica de reorganização da cidade cada vez mais direcionada para privilegiar o que não é poluente. “Queremos continuar a desenvolver a cidade de modo a aproximar as pessoas do usufruto do espaço público e estamos certos de que a continuação desta obra trará isso mesmo”, sublinha o autarca, enfatizando que a linha seguida pelo Município “é transversal a toda a cidade e pretende não só melhorar a circulação, como aumentar a segurança e tornar os peões os utilizadores primordiais das vias do centro da cidade”.

Os sentidos de trânsito irão convergir nas duas extremidades da Rua Dr. Joaquim Pires de Lima, de modo a permitir a subida na Rua dos Carvalhais.

A obra contempla, ainda, a instalação de infraestruturas de drenagem de águas pluviais e residuais, de abastecimento de gás, eletricidade, telecomunicações e rede de rega que, aliada à arborização e mobiliário urbano.

O trânsito estará condicionado durante 150 dias. Concluída a obra as mais valias notar-se-ão, nomeadamente “ao nível da proximidade entre o comércio e as pessoas”, conclui.

O relatório anual da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), publicado no final de dezembro, aponta Santo Tirso como um dos concelhos com o sistema de água mais eficiente do país. A percentagem de água não faturada no Município é de 9,75 por cento, o que contrasta com os 30 por cento da média nacional.

É o segundo Município a nível nacional com a melhor taxa de água não faturada, aquela que é desperdiçada no percurso entre a distribuição em baixa e as torneiras dos consumidores.

Santo Tirso está, assim, longe de fazer parte dos municípios que, em 2018, desperdiçaram um volume de água que dava para encher 281 piscinas olímpicas por dia, porque tem um sistema de abastecimento público de água que cumpre todos os requisitos impostos pela ERSAR.

Para além disso, o mesmo relatório aponta Santo Tirso como um dos Municípios com cerca de 100 por cento de qualidade de água distribuída pela rede pública.

Por se tratar de um assunto relativo à saúde pública da população de Santo Tirso o executivo municipal,  “tem vindo a desenvolver esforços no sentido de colmatar a necessidade de fazer chegar a água da rede pública à zona do Vale do Leça”. Algo que está prestes a ser desbloqueado e representa um investimento de cerca de 4,5 milhões de euros “em baixa” e um valor quase semelhante “em alta”, a efetuar pela empresa Águas do Norte.

“Os investimentos no Vale do Leça na rede pública só não estão mais acelerados porque, na verdade, há um conjunto de Municípios que se ufanam de ter a água barata, mas não a pagam “em alta” à Águas do Norte”, explica, reforçando ser fundamental que os consumidores façam ligação à rede pública. Ligação essa que “no caso de Santo Tirso, é gratuita, quando na maioria dos Municípios portugueses tem custos”, conclui.

Localizado nas antigas instalações da Loja Interativa do Turismo, edifício contíguo ao da Câmara Municipal de Santo

Com seis balcões de atendimento ao público, mais um do que antigamente, duas receções e um total de 22 postos de trabalho de backoffice, o novo Espaço do Munícipe oferece, também, mais serviços à população, nomeadamente a possibilidade de pagamento.

Desde que entrou em funcionamento, as pessoas não necessitam de se deslocar ao serviço de tesouraria, eliminando tempos de espera e deslocações de serviço em serviço.

O Espaço do Munícipe oferece cerca de 30 serviços, contemplando áreas que vão desde o urbanismo à ação social, passando pelo desporto, educação e proteção civil. Aqui, por exemplo, é possível pedir a atribuição de vacinas gratuitas, aderir ao programa SOS Casa, solicitar licenças de publicidade ou atribuição de bolsa escolar, requerer licenças de espetáculos ou concessão de aluguer de jazigos.

A par da melhoria dos serviços prestados, também o horário de atendimento foi alargado: de segunda a quinta-feira funciona das 09h00 às 17h30, à sexta-feira está aberto entre as 09h00 e as 14h00.